Início » Bebê está entre as seis mortes por gripe divulgadas em novo boletim em MS

Bebê está entre as seis mortes por gripe divulgadas em novo boletim em MS

Em Mato Grosso do Sul são 229 casos confirmados de Influenza e 28 mortes pela doença.

Por g1 MS


Vacina contra gripe é a maior arma contra doença.  — Foto: Diculgação/Prefeitura de Feira de Santana

Vacina contra gripe é a maior arma contra doença. — Foto: Diculgação/Prefeitura de Feira de Santana

Um bebê de 5 meses está entre as seis mortes por gripe divulgadas, nesta semana, em boletim da Secretaria Estadual de Saúde (SES).

As novas vítimas são de Campo Grande, Três Lagoas e Corumbá. Foram quatro mulheres e dois homens, de 71 e 39 anos.

Além dos óbitos, o boletim também confirmou 229 casos de Influenza. Ao todo, 3.211 casos de Síndrome Aguda Grave foram registrados.

Vacinação contra gripe

A imunização contra gripe começou no começo de maio. Ao todo, quase 200 mil pessoas fazem parte dos 18 grupos que são considerados prioritários. Diferente do que ocorreu em anos anteriores, a campanha era por etapas. Todas as pessoas maiores de seis meses podem tomar a vacina.

Mesmo após 45 dias da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, Mato Grosso do Sul apresenta uma cobertura vacinal de apenas 29,33% da população prioritária a ser vacinada.

Conforme a coordenadora estadual de Vigilância Epidemiológica da SES, Ana Paula Goldfinger, o objetivo da ação é aumentar a quantidade de pessoas imunizadas e com isso diminuir a circulação dos vírus.

“Sabemos que com o outono e o inverno essas doenças respiratórias vão piorar e os mais impactados são as crianças e idosos, por isso que estão no grupo prioritário, pela vulnerabilidade. Essa é uma estratégia distinta das demais que a gente vem fazendo. Buscamos a parceria com a Sesau e com o Corpo de Bombeiros justamente por ser uma instituição de confiabilidade da sociedade, pelo ponto estratégico. Então toda a estratégia para o resgate dessa população é válida e estamos fazendo uma inovação. Quando facilitamos o acesso, tem o aceite da população”, afirma Goldfinger.