Início » Warley Oliveira, campeão do Rodeio Internacional em Barretos é de MS

Warley Oliveira, campeão do Rodeio Internacional em Barretos é de MS

Ao g1, o cowboy disse que dedicou a vitória ao melhor amigo, que morreu em uma montaria. Há pouco mais de um ano competindo profissionalmente, Warley Oliveira, ou Café como é conhecido, já desponta no cenário internacional.

Por Thais Libni, g1 MS — Mato Grosso do Sul

28/08/2023 15h56  Atualizado 28/08/2023

Reproduzir

00:00/00:17Silenciar somMinimizar vídeoTela cheia

Warley Oliveira, de Aparecida do Taboado venceu Rodeio Internacional

O sul-mato-grossense Warley Oliveira, de 23 anos, é o campeão do Rodeio Internacional na 68ª Festa do Peão de Barretos (SP), principal competição da América Latina. O resultado vem há pouco mais de 1 ano após o peão começar a competir na categoria profissional de montaria em touros. Veja vídeo acimada última montaria.

Warley Oliveira, de 23 anos. — Foto: Reprodução

Warley Oliveira, de 23 anos. — Foto: Reprodução

“Eu treino há 10 anos, mas competir profissionalmente mesmo, faz pouco mais de um ano, eu sonhava com esse momento, em conquistar essa fivela. Barretos é o nosso objetivo, mas não imaginei que seria agora, me sinto tão grato e abençoado”, contou o competidor ao g1.

Ele faturou R$ 200 mil em prêmios e ainda uma vaga no The American, no Texas, em 2024. — Foto: g1

Ele faturou R$ 200 mil em prêmios e ainda uma vaga no The American, no Texas, em 2024. — Foto: g1

Apaixonado desde pequeno pelo universo do rodeio, Warley, ou “Café”, como é conhecido, conta que sua maior fonte de apoio foi sua mãe.

“Ela me incentivou e não me deixou a desistir, sempre que me desanimava por não ter vencido ou ter tido um bom resultado, ela não me deixava abaixar a cabeça, isso me fez ver os desafios com outros olhos”, relata

Em 2018, quando ainda se preparava para começar a competir profissionalmente, Warley, conta que enfrentou o maior desafio de sua carreira até o momento, a perda do amigo, também peão de rodeio, Elias Santana da Silva Júnior.

“Foi em um rodeio, eu lembro como se fosse hoje, a partida dele foi um baque para mim, achei que não conseguiria continuar, estávamos nessa vida juntos, éramos amigos, nos apoiávamos. Barretos também é uma conquista por ele, por todos que estão nessa área e sonham em estar entre os melhores, ser o melhor”.

Warley montou no touro Carta Branca. — Foto: g1

Após a vitória no maior rodeio da América Latina, Warley já voltou para a cidade natal, Aparecida do Taboado.

“A ficha ainda não caiu, eu já chorei muito, abracei minha mãe, é muito bom trazer esse título para a minha cidade, para o meu estado, e todos estão muito empolgados, hoje vai ter até uma carreata”.

Para ganhar o grande prêmio da competição internacional, Warley precisou parar em 5 touros durante quatro dias de competição. “É exaustivo, e para falar a verdade Deus me acalmou tanto, que eu só focava na montaria e não pensava em mais nada, não tinha nem tempo para eu ter medo, era tudo ou nada”.

Reproduzir

–:–/–:–Silenciar somMinimizar vídeoTela cheia

Campeão foi recebido com carreata na cidade natal, Aparecida do Taboado

Já em Aparecida do Taboado, o cowboy foi recebido com carreata. Em cima de um caminhão do Corpo de Bombeiros, o peão saudou os conterrâneos com muita felicidade. Veja o vídeo acima.

Última montaria

Na final, Warley foi o primeiro a montar entre os três finalistas e obteve nota baixa por causa do desempenho do touro Carta Branca. Com isso, Oliveira marcou 69,25 de 100 pontos possíveis.

Ele teve o direito de escolher outro boi para tentar melhorar a pontuação, mas, em uma decisão ousada, preferiu ficar com a nota, confiante de que os oponentes cairiam.

O que se viu na sequência foram as quedas de Andrew Alvidrez, derrotado pelo touro Texano, e de Yan Victor Santos, derrubado por Gatilho.

“Eu sei que foi uma escolha arriscada, podia ter montado novamente, mas eu sabia que era o certo a se fazer”, conta.

Ele faturou R$ 200 mil em prêmios e ainda uma vaga no The American, no Texas, em 2024.

“Agora vou cuidar do documentos e logo ir para o Texas, competir. Já tenho uma proposta com uma companhia lá para fazer carreira no exterior, agora é o momento de de analisar”.