Médicos usavam métodos abortivos para que os bebês nascessem vivos e assim pudessem vender seus corpos para pesquisa.

Ativistas anti-aborto divulgarem um vídeo em que a médica Deborah Nucatola, diretora principal de serviços médicos da Planned Parenthood, explica como vende tecido fetal a “preços razoáveis”, enquanto almoça num restaurante. O vídeo, divulgado pelo Centro para o Progresso Médico, foi feito com câmera escondida, contou com dois atores que fingiram interesse na compra de órgãos para pesquisa.

Os ativistas pró-vida David Daleiden e Sandra Merritt,juntamente com outras pessoas, foram condenados por um júri da Califórnia a pagar US$ 870.000 pelos supostos danos causados ao negócio de aborto da Planned Parenthood, após expor relatórios secretos que expunha vendas ilegais de órgãos de bebês abortados em todo o país.

Segundo a Life News, o júri condenou os ativistas a pagarem a multa pelos danos causados à empresa de aborto,supostamente por prejudicar a imagem ao gravar vídeos expondo a prática da Planned Parenthood. Para Dalleiden a decisão foi injusta.

Com informações de O Globo e Prime

Compartilhe:
Carregar mais Artigos Relacionados
Carregar Mais por Redação
Carregar Mais em Violência

Checar também

Joaquim Passos apoia a Campanha Sinal Vermelho contra a Violência Doméstica em Aquidauana – MS

Os números de violência doméstica no Brasil vem crescendo a cada ano. E agora durante a pa…