Após denúncia feita nesta terça-feira (15), a Polícia Civil investiga um caso de madeiras extraídas ilegalmente em uma APP (Área de Preservação Permanente) da unidade universitária de Aquidauana da UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), no quilômetro 12 da rodovia Aquidauana/Cera.

Segundo as informações que estão contidas no boletim de ocorrência, a denúncia foi feita pelo gerente da instituição na cidade, professor-doutor Elói Panachuki, e confirmada por uma equipe da PMA (Polícia Militar Ambiental) que compareceu ao local.

Foram cortadas e retiradas 10 árvores dentro da APP. A suspeita é de que o autor resida em uma chácara da região, já que há uma tirolesa feita com arame liso que era utilizada para passar o material lenhoso sobre um córrego, levando à propriedade.

Muitos troncos e restos de madeira estavam espalhados pelo local, além da chácara apresentar sinais de abandono, o que indica que o crime ambiental tenha acontecido há alguns meses.

O caso foi registrado como “cortar árvores em floresta considerada de preservação permanente, sem autorização da autoridade competente”.

 

Expresso MS

(*Foto: denúncia está sendo investigada na Delegacia de Polícia Civil de Aquidauana, no Bairro Cidade Nova / Arquivo)

Compartilhe:
Carregar mais Artigos Relacionados
Carregar Mais por Redação
Carregar Mais em UEMS/Aquidauana

Checar também

Marinheiros de Ladário participam de curso de horticultura na UEMS/Aquidauana

Desde o início da semana, a unidade universitária de Aquidauana da UEMS (Universidade Esta…