Frases tristes e que revelavam descontentamento com episódios como brigas eram escritas com frequência no caderno da menina Heloísa da Silva Antunes, 11 anos. Filha de um subtenente da PM (Polícia Militar), ela foi encontrada morta com um tiro na cabeça, disparado com a própria arma do pai, no quarto de casa, no início da noite do último domingo (17), em Mundo Novo, município distante 550 quilômetros de Aquidauana. As informações são do Top Mídia News.

Segundo o portal, a delegada responsável por investigar o caso, Allana Mariele Mazaro Zarelli, disse que os investigadores da Polícia Civil estiveram na residência da família e, além do caderno da menina, também apreenderam um aparelho celular e computadores.

“Ainda vamos investigar para confirmar se a letra realmente era de Heloísa. O material foi apreendido, mas ainda estamos trabalhando. Pedimos a quebra de sigilo para poder ter acesso ao celular e ao computador da menina”, explicou a delegada.

O caso

Vizinhos acionaram a PM, por volta das 19h30 do último domingo, alegando que haviam ouvido um disparo vindo do condomínio onde a menina morava com a família, na Rua José Alves. No local, os policiais militares foram atendidos pela mãe da criança, que, em estado de choque, disse que a filha estava morta no quarto.

O corpo de Heloísa foi encontrado ao lado da pistola. A menina tinha uma lesão causada pela arma na cabeça.

Prevenção

Considerado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) como um problema de saúde pública, o suicídio representa uma parcela expressiva do número de óbitos registrados no Brasil e no mundo. O CVV (Centro de Valorização da Vida) foi criado para prevenir essas situações. Trata-se de uma associação civil filantrópica fundada em São Paulo, em 1962, sem fins lucrativos, reconhecida como de Utilidade Pública Federal, desde 1973. Presta serviço voluntário e gratuito de apoio emocional e prevenção do suicídio para todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo e anonimato.

Os contatos com o CVV são feitos pelos telefones 188 (24h e sem custo de ligação) ou 141 (nos estados da Bahia, Maranhão, Pará e Paraná), pessoalmente (nos 89 postos de atendimento) ou pelo site www.cvv.org.br, por meio de chat.

 

EXPRESSO (*Foto: a menina Heloísa da Silva Antunes – Reprodução/Facebook)

Compartilhe:
Carregar mais Artigos Relacionados
Carregar Mais por Redação
Carregar Mais em SUICÍDIO

Checar também

Taxas de suicídio aumentaram 73% no Brasil nos últimos anos

O suicídio tem crescido entre as causas de morte no Brasil, segundo dados do Ministério da…