O Governo do Estado de Mato Grosso do Sul deve publicar, nesta sexta-feira (11), um decreto adotando medidas mais restritivas para conter o avanço da Covid-19 no estado, obrigado os 79 municípios a impor toque de recolher entre às 22h e às 5h e assegurando que todas as cidades cumpram o programa Prosseguir, com as recomendações de cada bandeira que o município esteja listado.

De acordo com o secretário de saúde do estado, Geraldo Resende, as medidas mais firmes visam ter, de fato, uma unidade para todos os municípios. “Só assim vamos evitar que a situação fique ainda mais grave. Precisamos diminuir a mobilidade social, para que só atividades essenciais sejam cumpridas em determinados municípios que seja necessário e ao mesmo tempo evitar a superlotação dos leitos hospitalares”, afirmou ao G1.

O decreto contendo as medidas deve ser publicado nesta sexta e as novas normas devem passar a valer a partir da próxima segunda-feira (14). As restrições são aplicadas em um momento de grande alta nos casos de Covid-19 em Mato Grosso do Sul. Em dezembro, o estado registrou, em média, um caso novo de Covid-19 a cada 1,3 minuto, com mais de 10 mil casos apenas neste mês.

O estado ainda possui três municípios com grau extremo no programa Prosseguir, que mede o grau de risco para a Covid-19 com base em uma série de parâmetros e recomenda a partir da classificação em bandeiras quais ações devem ser adotadas e atividades podem funcionar. São elas: Naviraí, Amambai e Dois Irmãos do Buriti. De acordo com o programa, apenas atividades essenciais deveriam funcionar nos municípios citados, o que não está sendo seguido por todas as administrações municipais.

A maioria das cidades de Mato Grosso do Sul se encontra no grau alto de risco para Covid-19, de acordo com o programa, incluindo Campo Grande, Aquidauana, Dourados e Corumbá. Segundo o Prosseguir, apenas atividades essenciais e não essenciais de baixo risco deveriam funcionar nesses municípios. Apenas Três Lagoas, Selvíria, Angélica e Novo Horizonte do Sul estão com a bandeira amarela, indicando grau tolerável para a doença e autorizando atividades não essenciais de baixo, médio e alto risco.

Os hospitais nas grandes cidades do estado também enfrentam dificuldades no atendimento a pacientes com o novo coronavírus.

No Hospital Regional de Campo Grande, referência no atendimento a Covid no estado, a situação é descrita como “à beira do colapso” nesta segunda semana de dezembro. Mato Grosso do Sul registrou, até esta quinta, 109.785 casos de Covid-19, com 1.888 óbitos.

Compartilhe:
Carregar mais Artigos Relacionados
Carregar Mais por Redação
Carregar Mais em SAÚDE

Checar também

Aldeias urbanas estão fora da primeira remessa de vacina contra Covid

Programada para iniciar amanhã (19),  a vacinação contra covid-19 para indígenas de Mato G…