O deputado federal e futuro secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, disse que entre suas prioridades na pasta, que assume a partir de 1° de janeiro, está o fortalecimento dos polos regionais no interior do Estado, para que os pacientes possam ter boas estruturas perto de suas residências, sem precisar viajar e concentrar atendimentos em Campo Grande e Dourados.

“Para isto precisamos consolidar a regionalização da saúde, principalmente nas sedes das microrregiões, retirando a concentração das maiores cidades. Este projeto começou a ser pensado há 20 anos, teve alguns retrocessos, mas também avanços”, disse ele, em entrevista ao Campo Grande News.

Geraldo Resende ao lado do governador Reinaldo Azambuja, durante agenda na última quinta-feira (Foto: Marina Pacheco)Geraldo Resende ao lado do governador Reinaldo Azambuja, durante agenda na última quinta-feira (Foto: Marina Pacheco)

Geraldo lembrou que quando foi secretário da Saúde, na gestão de Zeca do PT, já tinha começado a discutir a questão, que ganhou força nos últimos anos. Ele também vai dar uma atenção especial para os hospitais em Campo Grande, Dourados e Três Lagoas. “Nestes dois últimos precisamos avançar mais nas obras que estão em andamento, já na Capital continuar a expansão no Hospital do Câncer”, mencionou.

Outro foco do futuro secretário é ampliar as atividades do Hospital Regional de Campo Grande. “Precisamos discutir qual o seu papel na saúde pública do Estado. Tornar ele mais útil e atuante, para que devolva a população em serviços, tudo que já foi gasto e investido na unidade”.

Resende também adiantou que pretende conversar com o prefeito Marquinhos Trad (PSD), para que juntos possam discutir parcerias e ações na Capital, em relação a alta complexidade, assim como bom atendimento em especialidades, como pediatria e cardiologia. “Precisamos rediscutir esta situação, para atender melhor a população”.

Geraldo Resende ao lado do governador Reinaldo Azambuja, durante agenda na última quinta-feira (Foto: Marina Pacheco)

Parceria – Ele também espera ter uma boa “parceria” com o futuro ministro da Saúde, o seu colega de bancada federal, Luiz Henrique Mandetta. “Estivemos juntos em Brasília como deputados (federais), e sempre tivemos uma boa relação. Ele conhece como ninguém a realidade da saúde pública do Estado e de Campo Grande, até porque também foi secretário”, lembrou

Geraldo Resende (PSDB) era o primeiro suplente da deputada Tereza Cristina (DEM) e assumiria a vaga na Câmara Federal – com a ida da democrata para a equipe de Jair Bolsonaro – no entanto o tucano preferiu assumir o cargo de secretário, para cuidar da saúde de Mato Grosso do Sul. Após esta troca de cadeiras, quem vai ficar com o mandato é Beatriz Cavassa (PSDB), viúva do ex-prefeito de Corumbá, Ruiter Cunha.

Compartilhe:
Carregar mais Artigos Relacionados
Carregar Mais por Redação
Carregar Mais em SAÚDE

Checar também

Após seis dias, Polícia Civil prende homem que furtou medicamentos em farmácia de Aquidauana

Em ação realizada nesta terça-feira (08), a Polícia Civil de Aquidauana prendeu um homem q…