Após mudar de planos duas vezes, o MDB anunciou nesta terça-feira (14) que o deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa, Junior Mochi, será candidato ao Governo do Estado. Segundo antecipou o Jornal Midiamax, a definição se deu após reunião entre lideranças do partido, nesta tarde, e às vésperas do início da campanha eleitoral.

Depois de mais de 2 horas de reunião na sede do partido, na Capital, Mochi afirmou ter aceitado o desafio de ser o nome do partido na candidatura própria ao Governo do Estado. “Temos uma árdua campanha pela frente”, afirmou.

O candidato lembrou, ainda, que teve apoio dos filiados do partido para se lançar ao Governo. “Coube a mim nesse momento enfrentar esse desafio, que é o maior da minha vida política. Com certeza tenho apoio e por unanimidade, em uma decisão coletiva, assumimos o compromisso com as ações a serem desenvolvidas nos próximos 45 dias. Faremos uma campanha propositiva, mostrando alternativas para um MS maior e mais forte”.

Entre os partidos aliados anunciados por Mochi estão o PR, PHS, PRP, DC, PRTB e o PTC. Waldeli Rosa, prefeito de Costa Rica, será o coordenador da campanha do partido ao Governo.

O nome de Mochi era o mais citado entre deputados desde o domingo (12), quando a senadora Simone Tebet desistiu da disputa. Ainda segundo o MDB, o candidato a vice-governador na chapa será uma mulher, mas as negociações continuam e o nome ainda não foi revelado.

A primeira opção nos planos do MDB para retornar ao Governo do Estado era o ex-governador André Puccinelli, que acabou sendo preso no dia 20 de julho em razão da Operação Lama Asfáltica. Diante da situação, Simone ocupou o lugar de André a pedido do próprio ex-governador. No último domingo, no entanto, a senadora alegou motivos pessoais para desistir da disputa.

Foto: Minamar Junior

Trajetória

Oswaldo Mochi Junior é advogado e está no 3º mandato como deputado estadual, pela segunda vez preside a Assembleia Legislativa. Foi eleito pela última vez, em 2014, com 35.297 votos.

Mochi deu início às atividades político-partidárias em Fátima do Sul, assumindo a presidência da Juventude do PMDB na cidade. Ainda em Fátima, trabalhou no Banco do Brasil e no TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul).

Em Coxim, Mochi candidatou-se e foi eleito prefeito por duas vezes consecutivas em 1996 e 2000. Durante o período em que esteve no Executivo foi diretor-tesoureiro da Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul (Assomasul).

Dois anos depois de ter deixado a prefeitura, Mochi foi eleito deputado estadual. No primeiro mandato Junior Mochi foi o deputado com mais leis aprovadas. Ao todo 47 projetos.

Compartilhe:
Carregar mais Artigos Relacionados
Carregar Mais por Redação
Carregar Mais em POLÍTICA

Checar também

Harfouche, Juiz Odilon e Coronel Davi se transformaram em pré-candidatos em potencial para prefeito

O resultado das eleições deste ano revelou novas lideranças em Mato Grosso do Sul bons de …