Pesquisa feita pelo Instituto Ibrape mostra que apenas 1% separa o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) de vencer a eleição para o governo do Estado já no primeiro turno. Ele tem 42% das intenções de voto. Atrás, com 26%, está Odilon de Oliveira (PDT). Na terceira colocação aparece Junior Mochi (MDB) com 7%, praticamente empatado com Humberto Amaducci (PT), que pontuou 6%.

Fechando o cenário estadual, Marcelo Bluma (PV) e João Alfredo (PSOL) somam 2%, cada um, das intenções de voto. Os entrevistados que optaram por branco, nulo ou nenhum dos candidatos foram 10%, enquanto que os indecisos ou que não souberam responder chegam a 5%. A pesquisa foi feita entre os dias 22 e 24 de setembro.

O instituto entrevistou 1.040 pessoas, em 37 municípios, de oito regiões diferentes do Estado. De acordo com o Ibrape, a margem de erro é de 3% para mais ou para menos, tendo nível de confiança estimado de 95%.

Avaliação – O diretor-presidente do Ibrape, Paulo Catanante, avalia que por este levantamento e considerando a variação (margem de erro), Reinaldo teria que conquistar mais 1 ponto percentual para definir a disputa no primeiro turno, já que tem 42% e os seus adversários juntos somam 43%. “No momento por diferença mínima, ainda tem segundo turno”, analisou.

Quando se avalia apenas os “votos válidos”, sem contar os indecisos, brancos e nulos, Reinaldo chega a 49,43%, seguido por Odilon com 30,54%, já Junior Mochi alcança 08,26%, e Amaducci 07,01%. Marcelo Bluma e João Alfredo seguem empatados com 02,38%.

O candidato tucano tem 37% na Capital e 45% no interior do Estado, enquanto que Odilon 28% em Campo Grande e 25% no interior. Já Mochi tem 6% na Capital e 8% no interior. Amaducci também é melhor nas demais cidades, com 6%, tendo 5% em Campo Grande. Bluma e João Alfredo têm respectivamente 3% (Capital) e 1% (interior).

Para 39% dos entrevistados a eleição ao governo vai terminar no primeiro turno, enquanto que 37% acreditam que fica para o segundo (turno). Cerca de 24% não souberam responder sobre a questão. A pesquisa foi registrada no TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de MS), com o número: MS-04832/2018.

Compartilhe:
Carregar mais Artigos Relacionados
Carregar Mais por Redação
Carregar Mais em POLÍTICA

Checar também

TSE propõe voto distrital para vereador em algumas cidades já em 2020

Um grupo de trabalho coordenado pelo vice-presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE),…