Copeira, dois filhos, assalariada e com o sonho de ter a casa própria. A mulher de 36 anos, que prefere não se identificar, ainda “amarga” o fato de ter caído em um golpe. Ela descobriu a farsa nessa segunda-feira (4), quando o suspeito estava esperando por mais uma pessoa e a polícia fez a detenção, na avenida Mato Grosso, em Campo Grande.

“Ainda estou muito abalada, muito mesmo. Não vou conseguir o dinheiro de volta e ainda tenho que pagar um empréstimo que fiz com o meu patrão. Ele vai descontar, aos poucos, do meu salário. Ele [golpista] foi preso em posse dos documentos da pessoa que me indiciou e lá estava meu telefone. A polícia então entrou em contato e informou o golpe”, comentou a vítima.

Ao se apresentar, ainda conforme a vítima, o homem teria apresentado inúmeros documentos e até um revido autenticado em cartório. “Ele conversava muito bem e deu documento para conferir dados dele, além da aparência e boas vestes. Eu estava sonhando há muito tempo com esta conquista, mas, era um golpe”, lamentou.

Mesmo com tamanha tristeza, a copeira falou que não vai deixar de lutar. “Não vou conseguir meu dinheiro de volta, infelizmente. Agora é trabalhar para pagar e lutar. Agora, porém, estou escaldada e não vou deixar ninguém me fazer de besta. Tenho as inscrições e vou continuar lutando, nem que eu tenha que guardar e comprar quando estiver bem velhinha”, finalizou.

Entenda o caso

O suspeito prometia casas populares a inscritos em programas habitacionais. Segundo a delegada Ana Cláudia Medina, responsável por apurar as denúncias, o suspeito pedia valores entre R$ 1,5 mil a R$ 2 mil para agilizar as negociações imobiliárias.

Para algumas vítimas, ele teria dito que conhecia pessoas influentes na Agência Estadual de Habitação Popular de Mato Grosso do Sul (Agehab). Outras recebiam a informação de que ele era funcionário. Otair Soares de Oliveira, ainda conforme a polícia, foi reconhecido por ao menos 5 vítimas e é reincidente no crime.

“Existem registros criminais de estelionatos cometidos por ele desde 2015. O inquérito será inclusive encaminhado para a 1ª Delegacia de Polícia. A Deco (Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado) realizou os levantamentos preliminares e há indícios de que ele tenha, pelo menos, 20 registros na mesma modalidade criminosa”, afirmou a delegada.

Ao longo da semana, outras pessoas devem prestar depoimento. Uma copeira de 36 anos também deve prestar depoimento hoje. Ela também não quis revelar o nome e, chorando, disse que está muito arrasada. O homem permanece preso. O crime de estelionato possui uma pena que varia de 1 a 4 anos de prisão.

Fonte: G1/MS

Compartilhe:
Carregar mais Artigos Relacionados
Carregar Mais por Redação
Carregar Mais em Policial

Checar também

Jovem é sequestrado e encontrado morto com recado para “não roubar”

Por volta das 18h30min dessa sexta-feira, na cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero que …