Um tamanduá-bandeira foi resgatado nesta quinta-feira (8) após ter as quatro patas queimadas devido aos incêndios que atingem o Pantanal em Mato Grosso do Sul. Segundo o Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (Cras), ainda não é possível saber a quantidade de animais que morreram, mas muitos que conseguem escapar das chamas, estão lesionados.

Ainda de acordo com o órgão, muitos dos animais que conseguem escapar do fogo apresentam graves lesões por conta das queimaduras. Alguns deles, como os tamanduás-bandeira, que possuem pelos grossos, quando o fogo o atinge, este se transforma em uma espécie de tocha em chamas.

  • Várias espécies têm sofrido nos últimos meses com os incêndios que já destruiu mais de 3,9 milhões de hectares do bioma. Só no estado, segundo os últimos números, são mais de 1,8 milhões de hectares devastados pelas chamas. Os dados são do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (IBAMA) Prevfogo em parceria com o Laboratório de Aplicações de Satélites Ambientais (LASA/UFRJ)

Segundo o médico veterinário de resgate do Cras, Izanagi Ferreira, ele conta que recebeu um chamado de resgate e a 50 quilômetros da base onde a equipe de voluntários trabalham, o tamanduá foi encontrado com as quatro patas queimadas.

“Ele perdeu as garra da pata dianteira, perdeu um dedo da pata traseira e apresentou uma lesão no focinho”, lamenta.

Tamanduá com as quatro patas queimadas e é resgatado de incêndios no Pantanal de MS. — Foto: Cras/Divulgação

Tamanduá com as quatro patas queimadas e é resgatado de incêndios no Pantanal de MS. — Foto: Cras/Divulgação

O veterinário conta ainda que o tamanduá após o resgate foi encaminhado para a base onde recebeu os primeiros atendimentos e na manhã desta sexta-feira (9), levado para a sede do Cras, em Campo Grande: “Aqui ele terá mais recurso para se recuperar e depois voltar para seu local de origem”, explicou.

Conforme o órgão, o tamanduá foi resgatado pelo grupo de voluntários Resgate em Ambiente de Selva. Por não conseguir correr por longas distâncias, ele acaba pegando fogo. O animal resgatado nesta quinta-feira, foi encontrado ferido em um pesqueiro localizado às margens do rio Paraguai, estava bastante debilitado e ficou praticamente imóvel durante todo o atendimento.

“É um animal que tem bastante força, mas por estar muito ferido, está quieto, apenas protegendo o rosto. Estamos medicando-o para dar continuidade ao procedimento de queimaduras necessário para sua recuperação, explicou o voluntário Fernando Cardoso.

Em setembro o Centro de Reabilitação de Animais Silvestres de Mato Grosso do Sul (Cras) montou postos avançados com unidades móveis para oferecer os primeiros socorros aos animais feridos pelos incêndios florestais no estado.

O Conselho Regional de Medicina Veterinária de Mato Grosso do Sul (CRMV) também lançou uma campanha para ajudar os animais vítimas das queimadas. O órgão, por meio da “SOS Animais Silvestres”, está doando e recebendo doações de medicamentos e insumos para ajudar a tratar esses animais.

Compartilhe:
Carregar mais Artigos Relacionados
Carregar Mais por Redação
Carregar Mais em Meio Ambiente

Checar também

Com uso de drone, PMA intensifica fiscalização de pesca predatória no Rio Aquidauana

Munida de drone, a Polícia Militar Ambiental (PMA) intensificará a fiscalização nos princi…