Do dia 1º de janeiro até esta terça-feira, o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) recebeu 543 pedidos para exterminar infestações de escorpiões em imóveis de Campo Grande, o que dá uma média de aproximadamente 19 casos por dia. Apesar do grande número de acionamentos, apenas 20% das solicitações se enquadravam nos requisitos para a realização de desinsetização.

Conforme o CCZ, quando o morador encontrar um escorpião na residência, antes de acionar equipe para desinsetização no local, quando não houver incidente escorpiônico, a orientação é que o próprio residente tome medidas para evitar novos aparecimentos do animal peçonhento.

Resultado de imagem para ESCORPIAO EM cg EM mS

“É fundamental a colocação de barreiras físicas para evitar o aparecimento de escorpiões, fechar ralos, colocar telas em caixas de gordura e de escoamento de água, além de realizar, cotidianamente, a limpeza dos terrenos”, explica a veterinária Juliana Resende, coordenadora do setor de controle de roedores, animais peçonhentos e sinantrópricos. De acordo com ela, na maioria dos casos, essa é a medida necessária para evitar a maioria dos acidentes e o melhor método de controle dos escorpiões.

Resultado de imagem para ESCORPIAO EM cg EM mS

Caso o morador tome essas precauções e mesmo assim o escorpião aparecer na residência ou caso haja acidentes com picada do artrópode, ele deve solicitar a vistoria para a desinsetização da residência. Para solicitar a visita, basta ligar para os telefones 3313-5000 ou 2020-1796.

“Há vezes que orientamos os moradores, eles solicitam a visita logo em seguida, mas quando chegamos lá, sequer encontramos uma das barreiras que foi recomendada fazer, então, é claro que os escorpiões vão continuar invadindo a residência”, explica a complementa a gerente-técnica do setor de controle de roedores, animais peçonhentos e sinantrópricos, Christianne Brandão.

Por conta do aumento no número de pedidos, o agendamento pode demorar e o órgão pede paciência aos moradores. Conforme o CCZ, em 2019 foram registrados 825 pedidos de desinsetização, sendo que, somente neste mês de janeiro, os registros já correspondem a 65% de todo o ano passado.

Compartilhe:
Carregar mais Artigos Relacionados
Carregar Mais por Redação
Carregar Mais em Meio Ambiente

Checar também

Rio Betione também está no rastro da lama que não poupa cursos d’água em MS

Águas turvas demoram a clarear e são resultado da ação humana em desarmonia com a natureza…