Para enfrentar o tempo seco, os cuidados incluem aumento na ingestão de água e umidificação de ambientes

Sem chuva há semanas e sem expectativa para os próximos dias, sete municípios do Mato Grosso do Sul estão entre as 20 cidades do Brasil que registraram os menores índices de umidade relativa do ar nesta quarta-feira (5), segundo o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia).

No ranking, Água Clara, aparece na sexta posição com índice de 13%, na sequência estão Campo Grande com 15%, Miranda e Ribas do Rio Pardo com 16%, Amambai, Cassilândia e Corumbá com 17%. O menor índice, de 7%, foi registrado na cidade de Novo Repartimento, no Pará.

Sol vai continuar brilhante forte nos próximo dias em Campo Grande (Foto: Paulo Francis) 

Conforme o Cemtec (Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima de Mato Grosso do Sul), os próximos dias continuarão seco com umidade relativa do ar bem abaixo do recomendado pela OMS (Organização Mundial de Saúde) que é de 60%. Em MS, Há previsão de chuva apenas para a segunda quinzena de agosto.

Os problemas decorrentes da baixa umidade do ar são: complicações alérgicas e respiratórias, sangramento pelo nariz, ressecamento da pele, irritação dos olhos, aumento de incêndios em vegetação. Para enfrentar o tempo seco, os cuidados incluem aumento na ingestão de água e umidificação de ambientes com aparelhos ou toalhas molhadas. Exercícios físicos ao ar livre devem ser evitados entre 10h e 16 horas.

Conforme a OMS, índices de umidade relativa do ar entre 21% e 30% caracterizam estado de atenção; quando a umidade está entre 12 e 20%, é considerado estado de alerta; e o estado de emergência é caracterizado por índices de umidade relativa do ar inferior aos 12%.

CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

 

Compartilhe:
Carregar mais Artigos Relacionados
Carregar Mais por Redação
Carregar Mais em Meio Ambiente

Checar também

Governo vai proibir queimada na Amazônia por quatro meses

Pressionado a dar respostas a investidores estrangeiros pelo aumento no desmatamento, o go…