Talvez você tenha recebido este áudio no WhatsApp da família, no qual uma mulher fala que cebola é VENENO e um ÍMÃ DE BACTÉRIAS.

 

O áudio é basicamente uma aula de fake news. A mulher diz que “ficou sabendo” que a cebola faz mal e que passou para um monte de gente, mesmo sem saber explicar de onde veio essa história nem porque a cebola fazia mal.

"Bom dia! Há um tempo atrás fiquei sabendo que cebola, quando a gente corta e não utliza e coloca na geladeira, é VENENO. Passei isso para um monte de gente, mas eu não sabia explicar o PORQUÊ era veneno."
8vfani / Getty Images

“Bom dia! Há um tempo atrás fiquei sabendo que cebola, quando a gente corta e não utliza e coloca na geladeira, é VENENO. Passei isso para um monte de gente, mas eu não sabia explicar o PORQUÊ era veneno.”

Em vez de questionar se a história é verdadeira ou se perguntar de onde veio, ela prefere ficar pistola com quem não acredita nela:

"Ninguém prestou atenção em mim, o povo assim sabe, quer mais é ficar doente, quer mais é ficar na fila do SUS, não sabe porque que vai no restaurante acaba de comer e dá disenteria, eles não sabem NADA e também nem querem saber."
Crispy_fish_images / Getty Images

“Ninguém prestou atenção em mim, o povo assim sabe, quer mais é ficar doente, quer mais é ficar na fila do SUS, não sabe porque que vai no restaurante acaba de comer e dá disenteria, eles não sabem NADA e também nem querem saber.”

Para justificar a fala, ela usa este texto, espalhando pela internet em diferentes formatos e repleto de informações falsas.  

A história é 100% falsa e roda pela internet pelo menos desde 2009, como diz o boatos.org.

Morais da história: 1 – cheque as informações de algo que você pretende repassar;

2 – cebolas são saudáveis, cheias de vitaminas e muito gostosas.

Cherriesjd / Getty Images

Compartilhe:
Carregar mais Artigos Relacionados
Carregar Mais por Redação
Carregar Mais em FAKE NEWS

Checar também

É #FAKE que Jean Wyllys foi convidado por Haddad para ser ministro da Educação

Circula pelas redes sociais um print como se fosse de uma reportagem publicada pelo G1 que…