O Governo do Estado e a UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) se reuniram para definir o projeto para a revitalização do Estádio Pedro Pedrossian, o famoso Morenão. A obra emergencial é estimada em R$ 4 milhões e será licitada e executada pela Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos), cabendo à UFMS a realização do projeto técnico.

A primeira fase de obras deve atender a exigências do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) para liberar o estádio para o Campeonato Estadual de 2020. O Governo de MS formalizou proposta para investir recursos próprios na restauração da praça de esportes, com verba do Fundo Estadual de Defesa do Consumidor.

O superintendente do Procon, Marcelo Salomão, afirma que o uso do dinheiro do fundo para as obras no Morenão é um meio legal, considerando que existe uma relação de consumo por parte do público-torcedor e o estádio, objeto do projeto a ser financiado. Ele adiantou que a liberação do valor a ser aplicado, a ser definido após a elaboração do projeto de restauração, depende de aprovação do Conselho Estadual do órgão, do qual faz parte o MPE.

Para o promotor Luiz Eduardo Almeida, que determinou a interdição do estádio, com base em laudo apontando riscos de grau médio em sua estrutura, a solução encontrada para investir na reforma do Morenão “é extremamente positiva”. O secretário Carlos Alberto Assis destacou durante a reunião que o Governo pretende transformar o estádio, numa segunda etapa, em uma arena moderna para grandes eventos esportivos e entretenimento. Assis observou que esse projeto deverá ser viabilizado por meio de parcerias com a iniciativa privada.

O reitor da UFMS, Marcelo Turine, explicou que a instituição não tem recursos em seu orçamento para custear sozinha a recuperação da praça esportiva. Por isso, a UFMS fará o projeto técnico, que será elaborado por engenheiros da universidade e tem previsão de término em 60 dias. A Agesul será convidada a integrar essa equipe para alinhamento nos detalhamentos e adequações previstos na obr

A restauração do estádio consistirá na recuperação hidráulica e elétrica, além de garantir maior acessibilidade e segurança. Está previsto também a instalação de um novo placar eletrônico. “Será um ganho muito grande para o esporte e para Campo Grande”, disse o secretário Carlos Alberto Assis.

(Com informações do Governo de MS)

Compartilhe:
Carregar mais Artigos Relacionados
Carregar Mais por Redação
Carregar Mais em ESPORTE

Checar também

Semana Nacional do Trânsito terá passeio ciclístico em Aquidauana

Na Semana Nacional do Trânsito, Aquidauana, terá um passeio ciclístico alusivo à data, mar…